BLOG

Expresso da Informação

Dicas sobre Sites | 02 de abril de 2011

A evolução do expresso da informação através das mídias sociais é algo que as principais empresas de comunicação do mundo, ainda estão tentando descobrir uma forma de manipular.

Expresso, por que tudo o que é relevante para os internautas viaja em segundos por todo o mundo, rompendo inúmeras barreiras que os veículos tradicionais ainda não conseguiram atingir.

Canais como o Twitter e o You tube, tem chamado a atenção para si, estando à frente da revolucionária disseminação da informação em tempo cada vez mais próximo do real. Trazendo ao mundo novidades que provavelmente morreriam no anonimato ou levariam horas, talvez dias, para se tornarem populares.

O que incomoda as grandes redes de comunicação é a ausência da hierarquia da informação. Muitos tentaram a esmo, descredibilizar os blogs, desmoralizar a informação postada por autores sem diplomas reconhecidos, ou ainda, inibir estas práticas com campanhas que visavam expor tais práticas ao ridículo.

Mas o fator característico de uma tendência, o que a diferencia dos modismos, é que ela se impõe por manifestações de necessidade e não por opiniões promovidas por autoridades de um determinado meio.

O expresso da informação democrática se calcou na necessidade de organizar e gerar relevância ao caos gerado pela globalização. Explicando: Ao ter acesso a milhares de informações, as pessoas passaram a demonstrar necessidade de filtrá-las, para gerar melhor entendimento, este processo incentivou o processo interativo. Quem diz o que é melhor para quem? Quem define isso? Como gerenciar o caminho para uma informação importante chegar ao seu fim?

Ainda estamos longe do padrão definitivo, vivemos hoje, a “Era Google”, por que até agora, ninguém demonstrou entender melhor a internet do que esta empresa que possui as duas maiores fontes de pesquisa do mundo: Os sites Google e You Tube, respectivamente.

O entendimento que a internet é um ambiente de convivência, e não uma mídia levou estes pioneiros a desenvolverem as melhores ferramentas web para a monitoração do grau de atividade do consumidor. Registrando cada clique, relacionando todos os fatores persuasivos e lógicos que levam uma pessoa a optar por esta ou aquela página.

E de repente, eis que surgem as mídias sociais. Canais de interatividade digital, onde os leitores podem opinar imediatamente, reagindo às iniciativas uns dos outros com toda a liberdade para manifestar sua real compreensão ou satisfação sobre o assunto. As redes sociais impulsionaram o expresso da informação moldando caminhos a partir destes canais de participação, onde os leitores deixaram de ser meros espectadores e passaram a ser protagonistas da formação de opinião dos outros participantes.

A necessidade das pessoas de manifestarem em público suas preferências e aptidões sociais, fizeram as redes sociais irem evoluindo de acordo com que os webmasters foram compreendendo o comportamento dos usuários, desde a pioneira Six Degrees em 1997, o revolucionário My Space de 2003, até os dias de hoje, com Facebook, Linkedin e Twitter dominando as conversações.

Ao interesse corporativo, aconselha-se aprender a ouvir, pois toda esta interação trouxe a olhos vistos, a necessidade de saber gerir relacionamentos, quem não ouve não responde adequadamente as necessidades dos seus consumidores.

A pró-atividade é aconselhada, mas deve se levar em consideração o conhecimento do campo de batalha e as melhores estratégias para o gerenciamento das ações neste ambiente, como já dizia Sun Tzu em a Arte da Guerra.

Qual sua opinião sobre a evolução do expresso da informação?