BLOG

Comunicação Digital Corporativa | Publicação

Marketing Digital | 13 de abril de 2011

 Falar sobre comunicação digital corporativa é com certeza algo complexo e que pode nos abrir espaço para muitas postagens.

Depois de escrever um post sobre Estratégias em Mídias e Redes Sociais, leitura a qual recomendo, quero começar aos poucos ir aprofundando a conversa. Esta matéria se baseia em um importante processo do planejamento de Web Marketing, a Publicação.

Quando uma direção administrativa se reúne, para conversar junto com o setor de marketingsobre como criar valor para sua marca, produtos e serviços, para então comunicá-la ao seu público alvo, algumas perguntas são triviais, como:

Com quem iremos conversar? | Quais benefícios nós iremos ressaltar?

E qual será a estratégia de comunicação? | Abordagens, veículos, métricas, etc.

Claro que para uma grande parte das pessoas, comunicação corporativa se resume a propaganda, mídia paga, lembrando disso, vou resumir um pequeno contexto dos fundamentos do Marketing para que vocês possam entender o tamanho do nosso atraso como brasileiros.



Vou listar algumas das principais mídias, chamadas de tradicionais, disponíveis para publicidade:

TV, jornais, rádio, outdoors, listas e guias telefônicos, revistas, folders, cartazes e demais impressos e mais um ou outro veículo, além da participação em eventos.

Não é de estranhar que a grande maioria dos empresários não consiga perceber ou mensurar o retorno sobre o seu investimento (ROI), pois cada veículo desses tem um papel, uma função, e um potencial forte de alcance em massa ou em nichos.

Mas então, por que é que só contratar estas mídias não nos traz o retorno que gostaríamos? Longe de mim, querer bancar o pai da verdade, ou contar aqui toda a história da evolução do marketing, nem sou eu a pessoa mais habilitada para isso. Mas para irmos logo ao ponto, vou tentar resumir o conceito do que entendo por estratégia de comunicação corporativa.

“Uma estratégia de comunicação corporativa de sucesso precisa criar inúmeros meios persuasivos, para influenciar pessoas diferentes com interesses ou necessidades em comum, a optarem pela sua solução”. Traduzir isso em benefícios palpáveis, significa gerir relacionamentos, abordando, informando, explicando, acompanhando, e mais alguns gerúndios redundantes que fazemos todos os dias. A partir daí é que se definem quais os melhores veículos de comunicação para cada uma dessas “etapas”.

Não se lança uma pergunta em lugar onde você não pode ouvir a resposta. Nem se anuncia em veículos e horários nos quais o cliente em potencial não tem acesso. Essas mídias têm um forte poder de atrair a atenção e permitir aos consumidores, o conhecimento de sua existência. Se bem utilizadas podem ter importantíssima participação em um planejamento integrado de mídias, conhecido como Cross Media.

Vejamos um exemplo do que podemos fazer de forma digital para divulgar um produto que tenha um difícil manuseio ou montagem:

Podemos oferecer demonstrações em vídeo postadas no You Tube;

Manuais e tutoriais podem servir como iscas digitais para formação de um mailing segmentado, isto se dá quando o cliente para efetuar o download, cadastra o seu nome e e-mail em troca do download;

Fotos do produto, do processo de montagem ou de seu uso, podem ser postados no Flickr ou ainda dispostos em slides, para serem postados no Slideshare ou Scribd;

O ideal é postar estes conteúdos nestas mídias sociais e depois, embedá-las no seu site, reforçando a importância de um site profissional. Primeiro por que estas mídias de compartilhamento contemplam maior encontrabilidade pelos mecanismos de busca, segundo por que é onde as pessoas estão, afinidade e adaptação de processos aos costumes dos clientes somam muitos pontos no processo de venda.

E mais do que vender, se faz necessário oferecer suporte (chat, atendimento online), instruções (Faq e fórum) e assistência técnica (referências de contato direto), para se conquistar esses clientes.

Só para reforçar, o ideal é que estas ferramentas funcionem tão bem quanto as de venda!

Acompanhe a sequência deste assunto, no próximo post, quando falaremos sobre propagação.